Confirmado na Índia êxito do xpert


Sem Título-2

Estudo realizado em 2012 e 2013 na Índia demonstra a superioridade do Xpert MTB/RIF sobre o tradicional método de detecção da tuberculose de microscopia ótica através do esfregaço – baseado na análise de leve camada de matéria orgânica numa lâmina de vidro. O autor do trabalho é o diretor geral adjunto da Divisão Central de Tuberculose, em Nova Déli, K. S. Sachdeva,

O Xpert MTB/RIF é uma nova opção laboratorial utilizada pelo Sistema Único de Saúde (SUS), e consiste em teste de amplificação de ácidos nucléicos utilizado para detecção do complexo M. tuberculosis e para a triagem de tuberculose resistente a fármacos. Indica também a resistência ao antibiótico rifampicina, usado no tratamento da tuberculose.

Feito em 18 unidades do programa de tuberculose, o estudo sobre esse teste de biologia molecular aumentou o índice de notificações de casos em 16% e a confirmação bacteriológica em 39%. Já as notificações de resistência à rifampicina aumentaram cinco vezes. Conforme o estudo, ao contrário da microscopia do esfregaço, o Xpert tem excelente sensibilidade e especificidade para tuberculose e pode dar resultados em menos do que duas horas.

A primeira fase do estudo seguiu uma linha imaginária como ponto de partida para fazer as comparações, baseada na microscopia do esfregaço em mais de 10,500 presumíveis pacientes de tuberculose pulmonar. Já a segunda etapa, com base no Xpert, consistiu na realização de testes em 70,500 possíveis pacientes.

Os testes aconteceram em oito áreas rurais onde vivem 3,9 milhões de pessoas, seis áreas urbanas cuja população fica em torno de 3,4 milhões e em áreas geograficamente acidentadas de difíceis acessos nas quais há em torno de 1,5 milhão de habitantes.

A conclusão do estudo evidencia que o Xpert pode substituir a microscopia do esfregaço como teste inicial diagnóstico de suspeitas de tuberculose e para diagnosticar a resistência à rifampicina.