OMS alerta para aumento de casos de tuberculose no mundo

omsblog1

O relatório anual da Organização Mundial de Saúde sobre tuberculose, divulgado neste mês de outubro, mostra que, em 2015, o número de pessoas contaminadas com tuberculose chegou a 10,4 milhões, número acima do registrado no relatório anterior, que ficou em 9,6 milhões de infectados. Segundo o informe da OMS, 1,8 milhão de pessoas morreram vítimas desta doença em 2015 – 300 mil a mais que em 2014.

As cifras sobre as dimensões da epidemia foram revistas para cima essencialmente porque os pesquisadores se deram conta de que as estimativas da Índia, entre 2000 e 2015, eram muito baixas. Ao todo, seis países representam 60% dos novos casos: Índia, Indonésia, China, Nigéria, Paquistão e África do Sul.

O Brasil reduziu a incidência da tuberculose em 20,2% de 2006 a 2015, passando de 38,7 casos/100 mil habitantes em 2006 para 30,9 casos/100 mil habitantes em 2015. O país também reduziu em 12,5% o número de novos casos em 10 anos: em 2015, foram notificados 63.189 casos em todo o país, contra 72.213 em 2006. Ainda assim, o Brasil faz parte da lista da OMS dos 22 países que concentram 80% da carga da doença em todo mundo. Segundo o último relatório, os BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) concentram cerca de 50% de todos os casos no mundo.

COMBATE AMPLIADO

Segundo a diretora da OMS, Margaret Chan, a luta para alcançar os objetivos mundiais no combate à tuberculose é cada vez mais difícil. “Teremos que aumentar substancialmente nossos esforços sob o risco de ver países continuamente castigados por esta epidemia mortal e não alcançar nossos objetivos”, diz Margaret Chan.

A meta da OMS é reduzir o número absoluto de mortes por tuberculose em 35% e de contágios em 20% até 2020, com relação aos números de 2015. O objetivo para 2030 é diminuir em 90% a quantidade de mortos por tuberculose e em 80% os infectados.

TB TEM CURA

A tuberculose é uma doença grave, mas tem cura. E para que o tratamento tenha eficácia, é importante não o interromper nos primeiros sinais de melhora. O tratamento da doença, que tem a duração mínima de seis meses, é feito pelo Sistema Único de Saúde (SUS), com controle por parte do Ministério da Saúde sob os medicamentos ministrados. A medicação para o tratamento da tuberculose não é comercializada em farmácias. Os medicamentos são fornecidos pela rede pública de forma gratuita, a partir do diagnóstico.